Posts marcados ‘meio de transporte’

Apple disponibiliza bikes para seus funcionários

A Apple, uma das mais bem sucedidas empresas de tecnologia do mundo, criadora da famílias dos I… Ipod, Iphone, Ipad… efim, vocês conhecem… A empresa tem crescido muito nos últimos anos, contratando muitas pessoas e ampliando suas instalações na cidade onde está sua sede, Cupertino nos Estados Unidos.

A empresa comprou alguns prédios e terrenos em localidades próximas ao QG atual da empresa, mas como se trata de uma caminhada longa, a Apple disponibilizou bicicletas para seus funcionário para que eles se locomovam entre os campus. A bicicleta não tem nada de tecnológico, é uma bicicleta simples de três marchas (leve, média e pesada), toda feita em alumínio e com bolsas para que os funcionários carreguem seus Mac’s, Ipad e etc…

As bicicletas ficam a disposição de todos os funcionários, sem burocracia alguma, é só pegar e usar!

Isso mostra que a empresa além se ser extremamente evoluída em termos tecnológicos, lançando produtos com uma qualidade muito superior a de seus concorrentes, mostra que também é bastante evoluída no que diz respeito a mentalidade de seus gestores, que proporcionam essa alternativa de transporte elegante, limpa e saudável! 

Foto: Everaldo Coelho

Anúncios

Sistema de compartilhamento de bicicletas em Toronto no Canadá. Que Exemplo!

O Programa BIXI de compartilhamento de bicicletas, foi lançado mês passado em Toronto no Canadá e já fez bastante sucesso. Foram registradas 10.000 utilizações desde o lançamento e número tente a crescer tremendamente com os meses de verão chegando.

Toronto foi a segunda cidade canadense a adotar um sistema de compartilhamento de bicicletas como esse. Motreal foi a primeira a experimentar o sistema e agora Ottawa, a capital do país, também adotou o programa.

Apesar do brutal inverno que atinge Toronto, o sistema funciona o ano inteiro. Foram instaladas 80 estações (foto acima) pelo centro da cidade, são mais de 1000 bicicletas disponíveis. O ciclismo é muito forte em Toronto e já faz parte da cultura da cidade. A prefeitura está expandido sua malha cicloviária para mais de 800 km de ciclovias pavimentadas e mais de 400 km de ciclovias não pavimentadas.

Como funciona

O sistema funciona como um programa de afiliados, as pessoas se cadastram e escolhem planos que lhes sejam mais interessantes. As opções de planos são as seguintes:

  • Por Dia: 5 Dólares canadenses
  • Por Mês: 40 Dólares canadenses
  • Por Ano: 95 Dólares canadenses

Esse valor permite a utilização da bicicleta por meia hora de cada vez. O uso extra é cobrado da seguinte forma: $ 1,50 por meia hora e $3,00 por hora excedente.

O sistema em Toronto fez sucesso mesmo antes de ser lançado. Um ano antes de seu lançamento, o sistema foi divulgado e o cadastramento liberado. Cerca de 1.000 pessoas se cadastraram no plano anual antes do lançamento do programa. Com menos de um mês de funcionamento, o número de afiliados anuais aumentou para 1.755. O objetivo é chegar a marca de 8.000 cadastros até o final de 2011.

A BIXI tem programas como esse rodando também em Washington DC e Londres e está implementando o sistema nas cidades de Boston, New York, Miami Beach, Minneapolis, Portland e Vancouver. Quem sabe um dia chega aqui no Brasil (Tomara!).

Santos dá exemplo na utilização de bicicleta como meio de transporte.

Matéria Último Segundo

Ciclovias ligadas ao Guarujá e São Vicente favorecem uso de bicicleta como meio de transporte

A cidade plana e o clima litorâneo de Santos, litoral paulista, favorecem o uso da bicicleta como meio de transporte. Por isso a malha cicloviária de 21 quilômetros fica lotada no fim da tarde de dias de semana, quando adolescentes voltam da escola e trabalhadores voltam para casa, alguns carregando os filhos pequenos.

As ciclovias em Santos foram a saída encontrada para a cidade que não tinha mais para onde crescer. Delimitada por cercas verdes, elas tem ligação com as cidades vizinhas São Vicente e Guarujá (por meio da balsa). Diariamente, chegam a Santos, entre 6h e 9h, 7.960 ciclistas. Entre 17 horas e 20h30, o movimento é intenso na saída da cidade. O fiscal de embarque da balsa Robson Correa Reis mostra que existem dois acessos para a balsa no fim da tarde, sendo um para os veículos motorizados e o outro apenas para as bicicletas. “Eu controlo [o fluxo] e se essa balsa não lota [de ciclistas] aí libero para os carros”.

O prefeito João Paulo Tavares Papa (PMDB) tem a intenção de criar condições para que a bicicleta seja protagonista da mobilidade urbana. “A bicicleta surge como uma ótima solução voltada para uma melhor qualidade de vida e para um meio ambiente melhor, com redução de emissões [de gás carbônico] por força do uso do petróleo”, justifica Papa.

Quem usa a ciclovia aprova, mas aponta pontos que precisam melhorar. O estudante Ícaro Pita, de 16 anos, acredita que seria necessário drenar a água da pista porque “quando chove ficam várias poças”. Tati, que pediru para não ter o sobrenome divulgado, tem 25 anos, mora no Guarujá, trabalha em Santos e se desloca entre as cidades pedalando. Ela conta ser difícil encontrar um lugar para estacionar a bicicleta e enfatiza que os próprios ciclistas não se respeitam. “Tem gente que passa correndo demais, fazendo ultrapassagem. E não tem lugar para parar a bicicleta ao longo do trajeto”, diz, se referindo ao percurso que faz quando volta para o Guarujá.

Existem na cidade os paraciclos – locais para estacionamento das bicicletas –, mas eles ficam nos pontos de destino dos ciclistas e não ao longo do trajeto. Quanto ao desrespeito, isso realmente acontece. Pessoas andam e fazem manobras de skate na ciclovia e muitos ciclistas ultrapassam outros sem se preocuparem com quem pode estar vindo no sentido contrário.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de Santos informa que realiza rondas de fiscalização e apreende a bicicleta que quem desrespeitar as regras de trânsito. Para reavê-la é necessário pagar R$ 25 ou participar de um curso gratuito sobre regras de cidadania e trânsito, na sede da Companhia.

Nuvem de tags