Arquivo para a categoria ‘Bikes Tops’

As Tops da Estrada: Cannondale SuperSix Evo – 695 gramas!

A Cannondale lançou esse ano a SuperSix Evo, o quadro mais leve do mundo. O quadro de tamanho 56 da bike pesa somente 695g. De acordo com a empresa fabricante, apesar de ser tão leve, a bicicleta é mais resistente e mais rígida do que o modelo anterios da SuperSix. Vejam como:

O peso

Para o desenvolvimento de uma bicicleta tão leve a Cannondale desenvolveu uma forma de construção em carbono, que utiliza a menor quantidade de material da forma mais eficiente possível. A bicicleta tem pouquíssimas partes que não são da liga de carbono da qual a bicicleta é construída.

Para conseguir a aplicação na quantidade exata das camadas de carbono que formam a bicicleta, a Cannondale utilizou moldes de EPS, um tipo de poliéster expansivo que impede a formação de rebarbas durante o processo de modulagem do carbono, que podem aumentar o peso da bicicleta.

A rigidês e a resistência

Para conseguir que uma bicicleta tão leve conseguisse ser muito rígida, a Cannondale utilizou três tipos de fibra carbono em sua construção. Um deles é uma liga utilizada pelas forças armadas na confecção de coletes aprova de balas, este carbono é extremamente leve e resistente.

A segundo tipo de carbono utilizado é uma fibra de alta modulagem extremamente rígida, que mantém a bicicleta lateralmente rígida, fazendo com que a transmissão de potência das pedaladas sejam totalmente transmitidas para os pedais, sem que  força se dissipe através da torção lateral.

A terceira camada é uma espécie de rede de segurança feita de uma fibra de carbono mais flexivel que une as duas outras camadas. Sendo mais flexível ela absorve os impactos e impede que o quadro trinque e dificulta quebras. Essa combinação fez com que a bicicleta, de acordo com a Cannondale, seja mais rígida e resistente do que a CAAD9, conhecida como o burro de carga da marca, ou seja, a mais resistente e rígida.

Absorção de impactos e velocidade

Utilizando a mesma tecnologia Speed Save utilizada na Flash Carbon Hardtail, a MTB da cannondale que é a bike mais leve do mundo. Tecnologia essa que funciona como uma microsuspensão. Os chainstays, seatstays e garfos da bicicleta são construídos de forma que permitem uma movimentação vertical, mas mantém a rigidêz lateral.

Essa movimentação vertical absorve um pouco dos impactos do terreno, mas não com a intenção de gerar conforto para o ciclista, mas sim para aumentar o contato das rodas da bike com o chão, aumentando consideravelmente a tração da bicicleta, a estabilidade e a resposta a acelerações. Todo esse trabalho transformou a SuperSix Evo na bicicleta com a maior relação peso-rigidês do mercado.

Vídeo

Preços*

  • SuperSix EVO Ultimate – $11.000
  • SuperSix EVO Team – $9.000
  • SuperSix EVO Di2 – $10.000
  • SuperSix EVO 1 Dura-Ace – $7.000
  • SuperSix EVO 2 Red – $5.000
*em dólares

As Tops da Estrada: Scott Foil.

Um dos lançamentos mais esperados de 2011.

Clique na foto para ver os detalhes.

O projeto inicialmente foi chamado de F01, antes do lançamento, a Scott resolveu colocar mais um L na equação. A F01L, com a estilização da escrita e a referencia a Airfoil (aerofólio em inglês), veio do batismo de Foil.

A Scott diz ter resolvido o problema das bicicletas Aero, que sempre lutam com a questão de quanto de rigidez e peso terão que sacrificar, para beneficiar a aerodinâmica. De acordo com a Scott, nenhum sacrifício precisa ser feito. A Foil é tão rígida e leve quanto a Scott Addict, bicicleta top de linha da Scott, porém é uma bicicleta Aero. Qual foi o segredo?

Virtual Foil

A resposta veio através de Simon Smart da Smart Aero Technology, ex-engenheiro da F1, desenvolvedor de um dos últimos sucessos da Scott, a bicicleta de Contra-Relógio Plasma 3. Simon gastou mais de 100 horas no túnel de vento da Mercedes (o mesmo que a Specilized utilizou no projeto da Venge McLaren), testando o melhor formato do quadro, para atingir os resultados esperados.

Fluxo de Ar

O resultado foi o formato de aerofólio virtual. Virtual porque o formato de aerofólio não é completo, mas cortado no meio (vejam a imagem acima), porém, a parte frontal do frontal do quadro, que se choca com o vento, provoca uma separação do fluxo de ar, que diminui a resistência e a turbulência, melhorando a performance da bicicleta. Esse formato faz com que em um olhar rápido, a Foil nem se pareça com uma Aero.

Esse formato permite que o quadro seja mais largo, ou seja, pode ser mais rígido e leve. O quadro da Foil pesa 840g, somente 40 gramas mais pesada que a Addict e possui a mesma rigidez que a irmã, só que também possui a mesma aerodinâmica que as concorrentes Felt AR1 e Cervélo S3, que clamam economizar 20 watts de potência ao pedalar a 40 km/h, em relação a quadros convencionais.

Resultados

Clique nos gráficos para aumentar.

Rigidez

A rigidez da bicicleta é semelhante as melhores do mercado.

Aerodinâmica

Em testes no túnel de vento, a bicicleta teve excelentes resultados. Na simulação com o manequim de ciclista, com um grau de inclinação 0″, a Foil se mostrou bem mais aerodinâmica do que suas concorrentes a uma velocidade de 45km/h.

A Proporção Perfeita

A Foil conseguiu a relação ideal entre peso, rigidez e aerodinâmica. O gráfico acima mostra que a bicicleta conseguiu atingir altos níveis de rigidez, mesmo sendo uma bicicleta aero.

Análise pela Bike Radar

A Bike Radar fez uma avaliação sobre a bike. O veredicto dos testes, mostrou que a bicicleta é extremamente leve, rígida e rápida. Porém não é tão arisca como suas concorrentes, para realização de manobras bruscas e rápidas, é necessário um leve empenho a mais do que nas suas concorrentes AR1 e S3, que são mais ariscas.

Vídeo

Ela vem com:

A Scott Foil bem com as seguintes configurações:

  • Shimano Dura-Ace DI2
  • Rodas Zipp 404
  • Mesa Ritchey
  • Canote de Selim Ritchey
  • Conduites por dentro do quadro
  • Banco Fi’zi:k Arione CX

As Tops do Contra-Relógio: Speed Concept 9 – A bicicleta mais rápida do mundo

A Speed Concept 9 – Essa é LINDA DEMAIS!

“Trek’s Speed Concept é muito rápida. A bicicleta mais rápida que já andei” – Matt Pacocha – Bike Radar/Cycling News

Para conseguir tanta velocidade, a Trek apostou na aerodinâmica extrema na construção da Speed Concept.

Aerodinâmica

A gota, é a forma mais aerodinâmica existente, mas como bicicletas em formato de gota ficariam um pouco estranhas, a forma de lâmina (Foil) é o que mais se aproxima. Os tubos da Speed Concept possuem essas características.

O fator mais importante para conseguir a aerodinâmica é a relação entre a largura e o comprimento da “lâmina”. Através de estudos em túneis de vento, a Trek chegou ao formato exato para conseguir os melhores resultados. A empresa o batizou de The Kammtail Virtual Foil. O “virtual” se refere ao corte que é feito no final do tubo (imagem abaixo).

O formato aerodinâmico faz com que o vento continue seu curso, mesmo sem a seção final da lâmina. Isso elimina peso e mantém os resultados.

Carbono

A Trek utilizou sua fibra de carbono de alta tecnologia, OCLV2. O “OC”, significa Optimum Compaction, ou compactação optimizada, que quer dizer que o carbono é altamente comprimido, o que elimina espaços vazios dentro do material, o que aumenta a resistência e diminui o peso. O ” LV” significa Low Viod, que quer dizer que o carbono praticamente não possui falhas, nem mesmo microscópicas, atingindo uma resistência superior a materiais utilizados em espaço naves.

Outras características bem legais!

Ajustabilidade

A Speed Concept é uma bicicleta extremamente ajustável. São 5 tamanhos da quadro, 6 tamanhos de clipes, ajuste na altura e na angulação da mesa. Como o Contra-Relógio é uma modalidade que a posição na bicicleta influencia muito no resultado, essa possibilidade de ajuste permite que se consiga uma posição perfeita sobre a bicicleta, mesmo para ciclistas com caraterísticas físicas muito diferentes. Melhorando assim os resultados dos ciclistas que a utilizarem.

Freios Invisíveis

Os freios da Concept são um novo conceito para o mercado. Eles são integrados ao quadro de tal forma que ficam praticamente invisíveis. O freio dianteiro foi construído por dentro do garfo, dependendo do angulo que se olha, não é possível ver as pastilhas. Uma verdadeira obra de arte.

Sensores de ciclo-computadores integrados ao quadro

Este é um dos componentes mais interessantes. Para evitar o arrasto aerodinâmico causado pelos sensores de cadência e velocidade, estes já vem de fábrica, integrados de forma aerodinâmica ao quadro. A Concept é a primeira bicicleta a incorporar componentes eletrônicos ao seu quadro.

Blocagens aerodinâmicas

As blocagens Bontagres quick release, são feitas em formato aerodinâmico e mostraram nos testes de túnel de vento uma melhora na performance da bicicleta.



As Tops do Mountain Bike: Scott Scale 899

A Scale 899 recebeu esse nome pelo peso de seu quadro. Com somente 899 gramas, é considerado um dos quadros mais leves do mercado. O peso total da bicicleta, equipada com o SRAM XX, é de 16,5lb (7,48kg).

Tecnologias

A bike consegue ser tão leve devido a uma combinação de técnicas de construção. A Scott elaborou o processo IMP3, que constrói o Toptube, Downtube e Headtube em um único estágio, diminuindo em 11% a quantidade de material utilizado na colocação do Headtube. Além da utilização de carbono de alta modulação, para inserção de material precisa em áreas críticas, o que também diminui a quantidade de material utilizado e o peso.

Outra técnica utilizada é a construção de uma peça única que compõem o seatstay e o chainstay em formato tubular e homogêneo. Diminuindo a quantidade de material e aumentando a performance e rigidez. Essa estrutura reduziu em 25g o peso do quadro em relação ao modelo anterior.

A Scott utiliza a fibra de carbono HMX Net, que de acordo com a empresa é 20% mais rigida do que a HMF, fibra utilizada em seus modelos anteriores.

Rigidez e Absorção de Vibrações

Concentrando a utilização de materiais nas áreas de estresse, bottom bracket bb30/bb92 e o headtube integrado, a Scott garante que a Scale 899 é 10% mais rígida na caixa de direção e 15% mais rígida no bottom bracket, em relação a seu modelo anterior.

O SDS (Schock Damping System) foi uma tecnologia criada para a absorver as vibrações do solo. A tecnologia foi originalmente desenvolvida para o modelo de estrada CR1 da Scott. O sistema funciona na parte traseira da bicicleta, fazendo um balanceamento entre a rigidez lateral e a complacência vertical. De acordo com a empresa, sua técnica de construção faz com que a bicicleta mantenha sua rigidez lateral, mantendo resposta rápidas em sprints e subidas. Mas possui uma  complacência vertical o que mantêm a bicicleta confortável.

Componentes

  • Quadro: Scale carbon, HMX-Net fibres
  • Garfo: DT Swiss XRC 100 Race
  • Grupo: SRAM XX
  • Freios: Avid XX World Cup carbon disc
  • Rodas: DT Swiss XR-SL carbon

Preço

9.500 Dólares.

Vejam o vídeo da Bike


fotos: Scott

As Tops da Estrada: Trek Madone 6.9 SSL

Trek Madone 6.9 SSL

Pode se dizer que a Trek Madone possui um currículo invejável. Ela carregou o vencedor de 9 dos últimos 11 Tour de France. Um pedigree e tanto! Hoje ela é a bicicleta oficial de duas grandes equipes do ProTour, a Trek Leopard e RadioShack.

O modelo SSL

Em 2011 a Trek lançou a variante SSL para a família Madone Série 6. O modelo é 100g mais leve do que o do ano anterior. Dessas 100g, 50g foram retiradas do quadro, 30g foram reduzidos com um novo processo de pintura e 20g no garfo.

Com essas alterações o quadro do tamanho 56 pesa somente 815g. Incrivelmente leve. A Trek diz que essa diminuição no peso não sacrificou rigidez ou durabilidade. De acordo com a empresa, o nova fibra de carbono HexSL é 10% mais resistente e rígida do que o OCLV Red blend utilizado anteriormente, dessa forma permitiu a diminuição do peso, sem sacrificar a qualidade da bicicleta.

Outra inovação é o movimento central BB90. Mais largo e com peças integradas, reduz a quantidade de peças móveis, deixando a bicicleta mais leve e por ser mais largo, faz com que a rigidez da bicicleta aumente. Vejam a imagem ao lado.

A  Tecnologia Trek

A Trek utiliza materiais com um nível muito alto de tecnologia. O fato de ter a fábrica localizada nos Estados Unidos, facilita o teste e utilização de diversos materiais desenvolvidos por faculdades e centros de pesquisa espacial na fabricação de suas bicicletas.

Para se ter uma idéia, no laboratório da Trek em Waterloo, Estados Unidos, que é o maior em pesquisas de carbono de bicicleta do mundo, a empresa possui uma equipe de 37 engenheiro de carbono responsáveis por desenvolver, testar e analisar as fibras de carbono utilizadas em suas bicicletas.

O carbono HexSL, é a primeira fibra de carbono industrial que conseguiu aumentar significativamente a rigidez e resistência ao mesmo tempo. Vejam a comparação entre os carbono utilizados pela Trek ao lado.

Customização e Fiting

Uma opção interessantíssima que a Trek traz para seus clientes é o chamado Project One. No próprio site da Trek, é possível modificar a bicicleta toda. Cor, componentes, grupo e até escrever mensagens pessoais na bicicleta.

São 24 cores diferentes, pode-se escollher as rodas, pneus, mesas, guidões, fita de guidão, canote, banco e headset, sendo que cada um desses existem pelo menos 10 opções para escolher. Também pode se escolher entre mais de 20 opções de grupos e cores de cabeamento. A variedade de estilos é incrível, é possível customizar a bicicleta nos mínimos detalhes.

Para se adaptar ao maior número de clientes, a Madone 6.9 possui três geometrias diferentes: H1, H2 e H3.

A H1 possui uma posição mais aerodinâmica com uma frente mais baixa, boa para atletas com bastante flexibilidade.

A H2 possui a frente um pouco mais elevada e fornece uma posição um pouco mais confortável.

A H3 e ideal para quem quer poupar as costas e o pescoço, ela possui uma posição ainda mais elevada e com algumas modificações de geometria para manter a estabilidade da bicicleta.

Preços

O preço da Madone 6.9 com a configuração padrão com Shimano Dura-Ace e Rodas Bontrager Race XXX Lite, custa US$8.714,99. As adaptações podem aumentar ou diminuir o valor. No site, quando as alterações são feitas o novo preço já é calculado.

Imagens

fotos: James Huang e Trek

As Tops do Contra-Relógio: Specialized Shiv

A Shiv foi uma sensação entre as bikes de contra-relógio. A bicicleta chamou bastante atenção ano passado, também por sido proibida para competições da UCI, por exceder a dimensão de 8cm permitida para o cone frontal da bicicleta.

A bicicleta é uma das mais aerodinâmicas do mercado, possui linhas extremamente agressivas e utiliza tecnologia de ponta em sua construção.

O Quadro

O quadro é absolutamente aero, possui o cockpit totalmente integrado com o downtube, toptube e garfos, melhorando muito a aerodinâmica da bicicleta. A bike é toda feita com o carbono FACT IS 10r da Specialized, o mesmo da S-Works McLaren Venge e Stumpjumper 29er.

Uma característica interessante é o tamanho do triângulo traseiro da bicicleta, ele é muito menor que o triângulo dianteiro (veja na figura acima). O triângulo traseiro reduzido, diminui a torção causada pela força exercida pela pedalada na roda traseira da bicicleta, enrijecendo o quadro. Essa configuração tem sido muito utilizada nos últimos modelos de bikes de Contra-Relógio.

A Shiv também possui um trail bastante grande. O trail é a medida entre a projeção vertical entre o centro da roda dianteira e o solo e a projeção da continuação do garfo e o solo. (não entendeu? Veja a figura ao lado). Quanto mais o garfo for apontado para frente, maior o trail. Quanto maior o trail, mais estável é a bicicleta, quando menor, mais arisca.

Portanto, essa combinação de fatores, torna a bicicleta extremamente rígida e estável. O que no contra-relógio, onde o aproveitamento da força é primordial, é de extremamente importante. Quanto mais rígida a bicicleta, mais a força da pedalada é transmitida para as rodas.

Componentes

A bicicleta vem com uma mesa em carbono integrada bem aerodinâmica, que se integra com o guidão S-Works em carbono FACT, também extremamente aero e com regulagem de altura entre 0 e 115mm.

O pedivela também em carbono FACT, conta com eixo e rolamentos superdimensionados com esferas em cerâmica.

O canote com formato de lâmina vem em dois tamanhos para facilitar o Bike-Fit.

Preço

Montada com o grupo Dura-Ace DI2 e rodas Zipp 808, a bicicleta está custando cerca de 12.000 dólares. Só o quadro fica em torno de 5.500 dólares.

Vídeo


 

As Tops do Mountain Bike – Specialized S-Works StumpJumper 29er HardTail

A S-Works Stumpjumper 29er HardTail

Essa bela máquina de 9,2 Kg produzida pela Specialized é uma das melhores bicicletas Hard Tail disponíveis no mercado. Vejam porque:

Carbono

O carbono utilizado na construção da StumpJumper é o FACT IS. Esse material permite a criação de formas muito elaboradas, que permitem maior rigidez, menor peso e alívio de tensão em pontos específicos que podem levar a rachaduras no quadro.

O quadro pesa menos de 1 kg, é bastante rígido e absorve bastante as vibrações vindas do terreno, gerando mais conforto para a Hard Tail.

A geometria da bicicleta apresenta o tubo cônico da Specialized “Cobra” e Chain Stays curtas. Isso proporciona maior dirigibilidade e respostas mais rápidas. Os Seat Stays em conjunto com o canote de selim bastante fino, geram uma excelente absorção de impactos.

Garfo

Os garfos de 90 mm utilizam a tecnologia Brain, que consegue distinguir quando a força é feita pelo ciclista, ou quando vem do chão. A suspensão utiliza uma válvula de inércia e vávulas que trabalham em uma cápsula de óleo, para regular o movimento da suspensão. Quando o ciclista pelada em pé, a suspensão enrijece, melhorando a transmissão de força para o pedal. Quando ela recebe impactos do solo ela absorve normalmente.

O sistema de gancheiras utilizadas no garfo são compatíveis com o eixo OS28 da Specialized. Essa combinação deixa a frente da bicicleta bastante rígida e reativa.

Rodas

Rodas Roval SL 29, com aros de carbono mais largos suportam pneus mais grossos e resistentes, mas mantém o peso baixo. O carbono é mais resistente e rígido que o alumínio, dessa forma a roda deforma menos e absorve mais os impactos.

Componentes.

A bicicleta vem com o SRAM XX, o Top da SRAM e pedivela S-Works em carbono FACT. Freios à disco Avid XX World Cup R customizado, pastilhas com base em alumínio e composto semi-metálico, pinça e corpo do manete em magnésio, manete em carbono.

Preço

7.500 Dólares

Vejam o vídeo da 29er

 

fotos: James Huang

Nuvem de tags