Arquivo para a categoria ‘Artigos e Dicas’

Dica: Como limpar seu CamelBak

O CamelBak é um excelente acessório para pedais longos. Principalmente utilizado por Mountain Bikers, que precisam de mais do que caramanholas para se hidratar durante trilhas de maior quilometragem. Este acessório também é muito utilizado pelo pessoal do traking, trilheiros de moto e por atletas de vários outros esporte, portanto, se liguem na dica!

Reservatórios de água como estes, com o tempo, tendem a ir ficando bem sujos. O ambiente sempre úmido é ideal para o crescimento de fungos, mofos etc. Se você ficar muito tempo sem dar uma boa enxaguada no seu CamelBack, ele provavelmente criará umas sujeiras escuras e desenvolverá bactérias e fungos em seu interior, que uma limpeza simples não vai tirar.

Aqui vai uma dica para você resolver esse problema. Você vai precisar de Um punhado de sal grosso, bicarbonato e água. Veja como fazer:

Passo a Passo

  1. Coloque 200g. de sal grosso e água dentro do CamelBak;
  2. Agite bastante para que o sal raspe as sujeiras e mate as bactérias;
  3. Esvazie o CamelBak e enxágüe com água corrente;
  4. Encha o CamelBak com 300ml de água e coloque uma colher de sopa de bicarbonato;
  5. Tire o ar que sobrar na bolsa;
  6. Deixe a mistura descansar por 24 horas e esvazie a bolsa;
  7. Aí é só enxaguar e deixar secar na sombra.

Tour de France para iniciantes: Entenda o básico sobre corridas de bicicleta.

Uma corrida de bicicleta é algo incrível, emocionante, cheia de estratégias, disputada e extremamente imprevisível. As grandes voltar são uma seqüência de 21 corridas, nas quais o ciclista com melhor tempo somado em todas as etapas é o grande vencedor. Porém, no Brasil, a maioria das pessoas não entende muito bem como funciona uma corrida de bike de estrada. Aqui vão algumas noções básicas sobre o que você deve saber.

O que é um pelotão?

Vem da palavra francesa “platoon” e é utilizada para descrever grande grupo de pessoas, nesse caso de ciclistas.

Porque que os ciclistas pedalam tão juntos?

Ao andar atrás de outro ciclista, ou no vácuo (giria: andar de roda) em uma estrada plana, um ciclista utiliza aproximadamente 30% menos força do que se andasse sozinho. Quando a velocidade está extremamente alta (em uma perseguição a uma fuga ou em uma embalada para a chegada), o pelotão se estica e vira praticamente um fila indiana e os ciclistas brigam para disputar uma melhor posição no vácuo.

O que é um gruppetto?

É um grupo de ciclistas que se forma atrás do pelotão (sobrados), geralmente em estágios de montanha. Eles andam no ritmo suficiente para se manter dentro do tempo de corte do estágio (geralmente 20% a mais do que o tempo do líder). O gruppetto (italiano para “pequeno grupo”) é geralmente formado por ciclistas machucado, doentes ou sprinters que não conseguem subir bem as montanhas.

O que é uma escalera?

Uma escalera é formada quando ciclistas revezam a frente do pelotão para manterem um ritmo forte sem se desgastarem tanto. Existem escaleras simples e duplas. Na simples se forma um fila indiana, um ciclista puxa por alguns segundos ou minutos e sai da frente para que outro puxe, geralmente utilizada em chegadas e perseguições muito fortes. Na escalera dupla, os ciclistas formam uma fila dupla onde uma das filas anda mais rápido que a outra, quando o ciclista chega na frente da fila ele imediatamente passa para a outra e desacelera, assim revezando a frente. Geralmente utilizada para manter ritmos fortes em estradas longas e planas.

Em casos de vento lateral, a escalera fica na diagonal, uma vez que o vácuo não fica exatamente atrás do ciclista, mas na diagonal contrária a direção do vento (Foto acima).

Como um atleta de equipe pode ajudar seu líder?

Apesar de ser uma competição individual, o ciclismo é um esporte de equipe, na qual o vencedor não consegue a vitória sem a ajuda de seus companheiros chamados “gregários”. Eles podem ajudar da seguintes formas:

  • Controlando a frente do pelotão, para impedir que ciclistas de outras equipes escapem, ou ganhem tempo sobre seu líder;
  • Andar sempre na frente ou ao lado se seu líder para protege-lo do vento;
  • Ir até o carro de apoio para pegar água, comida ou suplementos para o líder;
  • Parar para ajudar seu líder a voltar para o pelotão, no caso de ele furar um pneu, cair ou ter algum problema mecânico;
  • Dar para seu líder uma roda ou a bike inteira em caso de problemas;
  • Levar seu líder no vácuo em uma montanha até onde conseguir, para tentar dividir o grupo e ganhar tempo para o líder.

Como as montanhas são categorizadas?

Subidas são categorizadas de acordo com algumas regras internacionais. Mas a organização da prova pode alterar um pouco essa classificação, veja como são categorizadas as subidas do Tour.

  • Categoria 4: E a mais fácil, geralmente tem menos de 2km de extensão e por volta de 5% de inclinação. Ou com até 5km, com inclinação de 2 a 3 %;
  • Categoria 3: Pode ter menos de 2km, mas com uma inclinação forte, aproximadamente 10%, ou com até 6km, com inclinação menor que 5%;
  • Categoria 2: Pode ter 5 km, com inclinação média de 8%, ou com até 15km, com 4% de inclinação;
  • Categoria 1: É a categoria mais difícil, pode ter de 8km, com média de 8%, ou até 20km, com inclinação média de 5%;
  • Hors Catégorie (sem categoria): São montanhas extremamente longas e inclinadas, por exemplo, subidas com 10km e média de 7,5%, ou 25km com média de 6%.

Como são calculados os percentuais de inclinação?

A inclinação das subidas no ciclismo, sempre são categorizadas de acordo com seu percentual de inclinação. Para chegar nesse percentual, é feita uma divisão entre o ganho de altitude e a distância percorrida. Por exemplo, se você passou por uma subida de 1km e você subiu 10 metros de altura, qual é o percentual dessa subida? É só dividir! 10 metros / 1000 metros = 0,001 ou 1%.  Bem simples!

Guia de produtos: Pedais Look Kéo – Estrada

Os pedais Look Kéo, são os pedais mais utilizados por ciclistas profissionais e amadores. Mas não é pra menos, eles são nada mais nada menos do que os inventores do pedal de encaixe e possuem produtos para todos os bolsos e gostos. Conheçam eles:

Kéo Easy

O pedal Kéo Easy é a linha de entrada da Look, é ideal para iniciantes, ou para não quer gastar muito dinheiro no pedal. Possui uma superfície de suporte grande, que aumenta a estabilidade do pedal e assegura uma boa transmissão de potência. Um fator importante para os iniciantes é a tensão para liberação, que no Kéo Easy é de 8Nm, ou seja, ele se solta fácil, o que facilita a vida de iniciantes que ainda não estão acostumados com os pedais de encaixe.

Os pedais Kéo são testados exaustivamente. No teste de rotação, o pedal é girado 1 milhão de vezes, com uma pressão de 95kg sobre a plataforma deste. Os padrões internacionais pedem 100.000 rotações com 65kg, portanto os pedais são bastante confiáveis.

Pontos principais:
  • Peso: 129g (cada)
  • Preço: 80 Dólares (Chain Reaction)
  • Material corpo: Composto de materiais
  • Material Eixo: Aço
  • Cores: Cinza e Preto

Kéo Classic

Produto com excelente custo x benefício, o Kéo Classic é um dos pedais mais leves da categoria (139g), graças ao seu corpo feito de um composto de materiais leves, bastante confortável e durável. Assim como o Easy, ele também oferece uma plataforma larga, que melhora a estabilidade de transmissão de potência. Este é o pedal com a maior quantidade de tecnologia com um preço acessível da Kéo, não é atoa que é um dos modelos mais populares da marca.

Outra ferramenta disponível no Classic é o ajuste de tensão de liberação, o que abrange a utilização desse pedal para iniciantes e avançados. A tensão pode ser ajustada entre 8Nm e 12Nm.

Pontos Principais
  • Peso: 139g (cada)
  • Preço: 120 Dólares ( Chain Reaction)
  • Material corpo: Composto de materiais
  • Material Eixo: Aço
  • Cores: Preto e Grafite

Kéo Max

Agora começamos a entrar na categoria dos tops. O Kéo 2 Max é um pedal muito bom, possui uma plataforma de apoio feita de aço inox, 12% maior do que o Kéo Carbon, aumentando a estabilidade e a durabilidade de pedal. Pesando somente 130g, graças ao composto de carbono injetado, que diminuiu o peso a aumentou a longevidade.

O Kéo 2 Max, também foi testado exaustivamente para garantir durabilidade. Foram 1 milhão de ciclos, a 100 RPM, com carga de 90 kg em todos os pedais!

O ajuste de tensão para liberação varia entre 9Nm e 15 Nm, ou seja, este não é um pedal para iniciantes, mas sim para ciclistas mais experientes.

Pontos principais
  • Peso: 130g (cada)
  • Preço: 180 dólares (RA Cycles)
  • Material corpo: Composto de metal e carbono
  • Material Eixo: Aço
  • Cores: Preto, Grafite e Branco

Kéo 2 Max Carbon

Esse é um pedal indicado para competições. Com o corpo feito de um composto de carbono injetado. Este pedal possui exatamente as mesmas características do Kéo 2 Max, porém utiliza uma quantidade maior de carbono em sua composição. O resultado é um pedal extremamente leve, com apenas 122g.

Pontos principais
  • Peso: 122g (cada)
  • Preço: 250 dólares (RA Cycles)
  • Material corpo: Composto de metal e carbono
  • Material Eixo: Aço
  • Cores: Preto

Kéo Blade

Esse é muito Top! O Kéo Blade é a soma do que tem de melhor na Look. Detalhe, pesa menos de 95g!

Ele é o pedal com a maior superfície de contato do mercado, oferecendo uma estabilidade incrível e muita segurança. Uma inovação incrível do Blade, é uma lamina de carbono que fica debaixo do pedal, que é responsável pela tensão de liberação, ou seja, ele não tem ajuste de pressão, quando o pedal é pressionado, o carbono se flexiona ligeiramente e o pedal se encaixa, oferecendo uma segurança incomparável.

O único defeito desse pedal e a resistência a impactos, como boa parte de sus estrutura é feita de carbono e ele é muito leve, ele é menos resistente a impactos e existem muitos registros de quebras devido a quedas. Por isso que ele geralmente é utilizado em competições.

Aero

Ele possui duas versões de lâminas, a de 12Nm ou de 16Nm de pressão. A lâmina pode ser trocada com uma ferramenta especial. Existem também a versão Blade Aero, na qual é adicionada uma peça de carbono na base do pedal para melhorar a aerodinâmica. É coisa de louco!

Pontos principais
  • Peso: -95g (cada) / -120 (versão Aero)
  • Preço: 420 (RA Cycles)
  • Material corpo: Fibra de carbono
  • Material Eixo: Titanio e Cromo
  • Cores: Preto e Grafite

Dica de Saúde: Ciclismo ajuda a reduzir colesterol!

foto: lobostudio

Esse esporte é bom demais!

De acordo com um estudo realizado pelo Laboratório de Metabolismo de Lípides do Incor (Instituto do Coração), o metabolismo da partícula que transporta o colesterol ruim, o LDL (Lipoproteína de baixa densidade), é 5 vezes mais rápido em ciclistas do que em pessoas sedentárias. É o que afirma a coordenadora do estudo dra. Carmen Vinagre.

Colesterol bom e ruim

O colesterol sempre foi visto como vilão pelas pessoas, porém tem um papel fundamental no funcionamento das células. O problema são as elevadas taxas de LDL (o colesterol ruim). Essa lipoproteína, quando fica muito tempo na circulação, tem grandes chances de ser oxidada por radicais livres. Quando isso ocorre, o LDL não é mais reconhecido pelas células e são varridos do organismo pelos macrófagos (lixeiros do organismo), estes, quando ficam cheios de colesterol, contribuem para a formação de placas de gorduras nas artérias. O que pode aumentar o risco de infarto e AVC, afirma a dra. Carmen.

Porém, altas taxas de HDL (Lipoproteína de alta densidade, ou colesterol bom), retira o acumulo de LDL nas células, além de inibir a oxidação deste.

Pedalando

A boa notícia é que o estudo indicou que  pedalar aumenta as concentrações de HDL no sangue, além de diminuir pela metade a oxidação do LDL no sangue. Bom demais né!?

Outro fator benéfico a saúde, é que pedalar também acelera o metabolismo da gordura ingerida na alimentação. Os níveis de triglicéride diminuíram três vezes mais rápido no sangue de ciclistas. De acordo com o estudo, quem pedala duas horas por dia, três vezes por semana, já terá esses resultados. ENTÃO GALERA, PEDALEM!!!!

Dica: Aplicativo de Iphone para o acompanhar o Tour de France

A Skoda, um dos grandes patrocinadores do ciclismo mundial, com a ajuda do Amaury Sport Organisation (A.S.O), criou um aplicativo para Iphone, exclusivo para quem não quer perder nem um segundo do que vai rolar no Tour de 2011.

O nome nome do aplicativo é Official 2011 Tour de France application powered by ŠKODA. Está disponível para venda na App Store e custa 0,99 dólares. Acreditem, vale a pena!

O que tem no aplicativo?

  • Cobertura Ao vivo, via texto, com informações atualizadas minuto a minuto sobre as etapas;
  • Cobertura Ao vivo, via GPS, mostrando a localização, altimetria e informações sobre os ciclistas;
  • Vídeo dos melhores momentos de cada estágio;
  • Resultados e classificação de cada estágio;
  • Fotos de todos os estágio e atualizações do Twitter do Tour de France;
  • Perfil de cada ciclista;
  • Altimetria detalhada de todos os estágio e informações das subidas categorizadas.

IMAGENS

 

 

Resultado do Teste “Onde fica essa subida?”: Brasil – Serra do Rio do Rastro

Onde fica essa subida?

Semana passada, realizamos um pequeno teste, perguntando em que país fica a subida da foto acima. Como possibilidade de resposta colocamos Brasil, Itália, França, Colombia e Suiça.

Resultados do teste

A maioria do pessoal acertou! 56% dos participantes votaram no Brasil.

Serra do Rio do Rastro – Que Lugar!

A foto acima é da Serra do Rio do Rastro, uma das subidas mais difíceis do Brasil. Localizada em Santa Catarina, no município de Bom Jardim da Serra, a subida da serra tem 13,95km, uma média de inclinação de 7,5% e um ganho de elevação de 1079 metros. Nos parâmetros internacionais, ela é considerada como Categoria 1. No alto da serra, o ponto de encontro geralmente utilizado por ciclistas é o restaurante da Cascata, onde o pessoal come alguma coisa, respira um pouco e desce a serra.

Também no topo da serra, se encontra o Rio do Rastro Eco Resort, um excelente local para quem gosta de curtir um clima de serra e bastante frio. A temperatura média anual é de 12 graus. O resort oferece chalés para seus hospedes, todos com uma vista incrível de região serrana.

Outros serviços prestados são os passeios na natureza. Trilhas, cavalgadas, 4×4 e outras atividades ao ar livre oferecem uma boa opção para passar um final de semana.

Portanto, a Serra do Rio do Rastro é um excelente local para ser fazer um treino muito duro, aproveitar a viajem para fazer um programa de família e curtir um visual estonteante.

Informações sobre a subida

Fotos da Região

fotos: Pedalando sem fronteiras

Dica de Produto: Protetor solar Sport Face da Neutrogena

Para quem está procurando um bom protetor solar para o rosto, que suporte as longas e suadas horas sobre a bike, aqui vai uma dica. Sport Face da Neutrogena.

Conheço algumas pessoas que utilizam, eu mesmo estou usando a algum tempo e todo mundo elogia muito o protetor. Ele é um protetor específico para o rosto e específico para esporte. Possui um fator de proteção solar 70 e é muito resistente ao suor. Outro fator interessante, é que apesar de ser um creme, ele não deixa aquela sensação de estar com a cara melada, ele seca rapidamente e não deixa essa sensação.

Sendo específico para o rosto, ele não fecha os poros da pele, evitando o aparecimento de espinhas, abertura de poros, cravos e outros problemas causados por protetores não dedicados a face.

Aqui no Brasil, ele é um pouco caro, mas nem tanto, no Mercado Livre, ele custa R$ 39,90 + frete. Em farmácias ele custa aproximadamente R$ 60,00. Portanto ele não foge muito da média de preço dos bons protetores. Como ele vem em uma embalagem de 73 ml e só é utilizado no rosto, ele dura bastante. O meu, sendo que eu uso todo dia, durou quase 5 meses. Vale a pena o investimento! Se você tiver a oportunidade de comprá-lo nos Estados Unidos, lá ele custa 12 dólares.

Características do produto

  • Nome: Sport Face
  • Fabricante: Neutrogena
  • Ultra resistente a água
  • Ultra resistente a suor
  • Sem óleo
  • Proteção UVA/UVB
  • Possui composto HelioPlex™, (Composto utiliza Avobenzona, que é o mais efetivo agente de proteção UVA existentes)

Nuvem de tags