Leia Antes – Artigo: Efeitos do treinamento de força na cadência de ciclistas de rua (Parte 1 de 3)

Por Fabrício Lino

Para a perfeita elaboração de um treinamento de força para ciclistas precisamos nos atentar para as classificações e definições dos exercícios que farão parte de um determinado treinamento. Segundo PLATONOV e BULATOVA (2003) são eles:

– exercícios de preparação geral;

– exercícios de preparação especial; e

– exercícios para competição

Seguindo as ideias deste mesmo autor temos as seguintes breves definições para cada um deles.

O primeiro serve para um desenvolvimento funcional do organismo e deve corresponder a particularidades da modalidade esportiva. Tem por objetivo desenvolver as qualidades motoras, indispensáveis para o aperfeiçoamento da modalidade. Exemplificando no ciclismo podemos selecionar exercícios realizados com pesos, desde que solicitem os músculos utilizados no movimento de pedalar.

O segundo ocupa um lugar muito importante no sistema de preparação física  e abrange ações muito similares à atividade específica. Te por objetivo criar uma base especial para o volume de trabalho destinado as capacidades motoras específicas, a escolha será por exercícios que possuem características dinâmicas e cinemáticas correspondentes ao ciclismo. Podemos selecionar exercícios em cicloergômetro, esforços em subidas entre outros.

O terceiro é a execução de ações motoras que constituam o objetivo do ciclista, observando os objetivos e as provas e regras existentes na competição. O ciclismo é composto basicamente por provas de estrada e de velocidade. Desta forma as exigências motoras e metabólicas são diferentes para cada uma delas. É importante um estudo sobre a especificidade e o objetivo de cada um e de cada prova para que se faça um treinamento de maneira adequada.

Segundo BAILLY (1998) e RAYMOND (2005) os músculos dos membros inferiores que devem ser exercitados para um bom desenvolvimento de um ciclista são:

– fase descendente: glúteo máximo e médio, quadríceps, gastrocnêmio e sóleo;

– fase ascendente: reto femoral, íliopsoas, ísquiotibiais e tibial anterior.

Exercícios que compõem esta lista de músculos seriam: agachamento, afundo, leg press, flexão de quadril entre outros. Um educador físico deve ser consultado para a elaboração de um treinamento adequado para cada situação, ciclista e objetivo que o mesmo determinou.

De acordo com SIFF e VERKHOSHANSKY (2004) existem diferentes formas para a  montagem  de um treinamento de força necessitando portanto atenção na elaboração de um programa de treinamento. Devem ser levados em consideração: forma de execução, tipo de contração, velocidade de execução entre outras variáveis.

Se você está interessado em melhorar a sua performance ou mesmo chegar em casa mais inteiro após uma manhã de treinamento ou competição, procure um profissional especializado e comece com seu treinamento de força.

Bons treinos!

Um abraço a todos e até a próxima edição.

Fabricio Lino

F2 SPORTS – Assessoria Esportiva

Apoio: Equilibrium Nutrição/BACKS/MBK Brasil

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: